quarta-feira, 2 de novembro de 2011

CONVERSAS PRÁ BOI DORMIR - 'DOCE COMO MEL'


CONVERSAS PRÁ BOI DORMIR - 'DOCE COMO MEL'


O relato que segue abaixo é trecho de uma carta de um colono da fazenda, enviada ao meu pai. É bastante hilária, por isso foi guardada até hoje...“...cumu eu tinha promitidu, o tár do mér de abêia pura, sem mistura de guarapa... nóis achêmo uma caxa di abêia, dessa preta... Orópa, nus ladu das terra du Cróvis japoneis, aqueli qui tem as terra prantada di tomati, í que faiz diviza cas terra lá nu fundo, perto do capão dí matu, o sinhor se alembra deli, num é?


Bem, trêis ontonti, nóis rezorvêmo de í tirar o mér. Juntei o Nérso, u Dito, cumpadi Tunim, mais Gimíro, seu afiado, peguêmo us cachorru, o fumegadô, mais umas paia de mío e si lasquemô no carreado até o tronco caídu dondi tava as abêias. Só que a Tiana, a Bertrudi e a marditá da minha sóga, veia Térvina, fôru di atraiz.

A Bertrudi, eu sei...tá di zóio cumpridu pur causa du Cróvis, u japoneis dus tomati, mas a veia Térvina foi obra du capeta memo!!!
Nóis tudo arrumadim pra módi pega as abêia di surpresa, í dirrepenti aquela falação dus infernu... Oiêmo pra cima í tava vindo duas gráia mais uma araponga de cabeça branca...

Gritei qui si quietassem í fossi pra otrô lado, mais u diabu da veia gritô que tava cus intestrino disarranjado í tinha que se aliviá... Visão dus infernu!!!
A veia Térvina, foi pá ditrais duma moita, quanto cumeçô a levantá as saia, escurregô num monti di bósta das vaca, e rolô barranco a baxô, inté batê nu tronco donde tava as abêia!!!

Dotô Musês, me arrespondi... Purque que Deus feiz a muié cum boca?! Praga pior que furmiga saúva, pior que gafanhotu...num tem iguár!!
A pésti da veia bateu nu tronco, sustô as abêia...e foi só abêia saínu di ferrão prontinhu pra mordi aferrá nóis. Eu saí correnô e me apinchêi no córgo dágua, mais u restu...bem, a véia cumu caiu ca saia levatada, as abêia pegô nas parte báxa, ta que num pódi fechá as perna...us cachorro, bão quí são, infrentaru as abêia cumu dêu, latia e engulia abêia, latia e ingulia abêia...

A Bertrudi, proveito e sumiu prus lado dus tomatêro du japoneis, a Tiana, sinfiô numa capuêra, u resto ta cum a cara inchada que nem pódi falá...dózinha di Gimíru, inté cumida tem qui se di canudinho!!! U Valenti, meu cachorro ta sortano abêia nas féiz quando óbra... Isso já faiz três dias du acuntecido...

Óia dotô Musês, nóis pede discurpa, pro senho e pra dona Ira, mas num deu pá pega o mér não, as abêia num tava pra brincadera não, intão, a Tiana ta mandano pelo cumpadi Tunin, us vidro di cumpota de carambola que a minina Mariame gosta e no lugá do mér, ta indu memô é melado di cana caiana, doce cumô mér di abêia...”



Nenhum comentário:

Postar um comentário