sábado, 11 de fevereiro de 2017

TRISTITIA


TRISTITIA

A necessidade de viver e amar tem níveis tão profundos quanto as dificuldades para encontrar respostas a todas as minhas perguntas. Quero evoluir, mas carrego a tatuagem de todas as dores na alma e a solidão de todas as existências me toma de forma assustadora. Quando eu olhei para você pela primeira vez, o que senti foi o que me manteve disposta a nutrir de forma carinhosa, o sentimento que chamo Amor. Durante anos de busca e espera, eu não perdi o interesse em reconhecer seus traços através da leitura de sinais, que podem (eu sei) ser frutos do delírio da minha alma que é viva poesia. Busquei em você a alma gêmea, a imortalidade do verbo e a pressa da palavra sã, a calma do rio na ribeira e fúria do mar,  a paciência das nuvens e ferocidade dos raios, a duvida dos  caminhos e a sabedoria dos ventos. Busquei em você o amanhecer e o entardecer. O dia e a noite. O sol e a lua. A boca e o beijo. A mão e o afago. A verdade e a luxúria. Busquei em você o avesso da tristeza e a alegria do reencontro. Sonhei desesperadamente até perder a conta dos dias, até que o Tempo parou de existir e o passado e presente se misturaram diante de mim como um eclipse lunar/solar que me fez perder as minhas dimensões e eu passei a ser você. A certeza da minha felicidade é a sua existência assim como a minha tristeza é a certeza da sua ausência.
la tristezza non ha fine
tristesse n'a pas de fin
la tristeza no tiene fin


para Odur 




sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

CONFESSO-TE!


Confesso-te!
______esta que vive em mim
ama e sofre e chora
morde os lábios e esfrega os olhos.
Esta que sou___se revela para pouca gente
(( incoerência?! ))
mas o verso sem rima
tenta unir o que nos separa ___o tempo sem pressa
ladeira a baixo até a flor de carne
retalho d'alma que nas veias pulsa
Ah, como eu quero teu amor assim bem louco
e este teu viver que me rodeia
em penas de arcanjo...

para Odur


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

RECORDAÇÕES



RECORDAÇÕES

Nada mais me fala à recordação. Talvez não seja mais que um sonho - cacete! Mas e o seu olhar tal qual ferida aberta e a boca de beiços esgarçados por onde escorre  a saliva espessa engrossando o molho vermelho que envolve os testículos de boi?! Hum?! Isso é sonho, merda?! Pois que seja! Ela, que era "dele", agora é só uma gravura sentada numa  desconfortável cadeira tendo os cotovelos apoiados na mesa  num boteco qualquer. Eu fico aqui, calada -, pensando nessa merda toda e na verdade, desejando estar num outro lugar porque é foda finalizar o dia sabendo que estar apaixonada, não quer dizer nada! Sentir o beijo gelado da 'tulipinha' de cerveja, dar uma tragada no cigarro e observar atentamente a brasa se aproximar dos lábios é a coisa mais idiota que uma mulher pode fazer em se tratando de solidão. Caraca!! Olha só o cara!Na maior folga mijando numa árvore da praça em frente ao boteco - essa é a vantagem de ser homem, quando a vontade de "fazer xixi" começa apertar. Putz! Ainda sacudiu o pinto na maior cara de pau, fechou o zíper e foi embora!! Melhor eu pedir mais uma cerveja e curtir o chafariz da praça...



CONSTEL_AÇÃO



CONSTEL-AÇÃO

Caminhando lado a lado
de mãos limpas e alma lavada
lá vão elas___ com suas toucas de orelhas de gato
((pussy hats))
arranhando com palavras/garras
defendendo seu espaço,
fugindo do laço
e do mormaço
____exigindo seus direitos de brilhar feito estrelas
da grande constelação _ Mulher!



quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

ANÔNIMO


ANÔNIMO

...e as três feras caminham juntas desenhando os nove círculos, enquanto os mortos, atormentados, ajoelham-se diante dos portões. - A inocência mora aqui?!
_____quero comprar três moedas de prata e desenhar em cada uma delas o olho cego que tudo vê.


foto: LL


domingo, 5 de fevereiro de 2017

ENIGMA


ENIGMA

Se ao teu olhar sou poesia e me faço carne em tuas mãos, então, por que me lanças à súplica estrangulada de Ezra'eil?! Por que permites que o fio da lamina derrube a asa que me mantém o equilíbrio?! E da tua língua, só o final de cada palavra sã e a melodia do teu nome na pauta de quatro espaços  adulteram a eternidade e justificam a porta do terceiro céu, antes que os meus pés caminhem sobre o abismo e os meus cabelos de sangue e fogo se rendam aos afagos do vento sul.


imagem: Eros e Psyche