terça-feira, 13 de novembro de 2012

UM BREVE MOMENTO ENTRE A SOMBRA E O VERMELHO



UM BREVE MOMENTO ENTRE A SOMBRA E O VERMELHO

Você devia ter olhado no fundo dos meus olhos enquanto eu penteava os meus cabelos (vermelhos) e percebia com estranheza a ausência das horas. Não havia nada que pudesse mostrar que os minutos escorriam do relógio – aliás, não havia relógio.

Havia somente a ausência do tempo e as suas roupas brancas jogadas pelo chão. A descoberta do seu olhar parado sobre a sombra do meu corpo projetada na parede branca e o cheiro das flores pairando no ar contrastando com a garrafa de vinho (vazia) era a mais inebriante das sensações e a luz fosca das velas  iluminando os meus cabelos vermelhos de uma maneira ironicamente colorida "casavam" este momento.

Sinceramente eu te digo que não consigo entender este seu olhar parado sobre mim e minhas formas enquanto minha sombra ensaia uma dança de sedução – ah, eu vou te seduzir no negrume da minha sombra entre a luz das velas e as flores espalhadas pelo chão.

Em cada passo meus pés sentem o chão e as pétalas – texturas e ternuras envolvendo e ligando num gesto compreensível de amor enquanto eu te seguro e percorro o seu rosto delimitando o seu sorriso, suas mãos passeiam no vermelho fogo dos meus cabelos abrindo um caminho para seus lábios simbolicamente possuírem a minha nuca enquanto meus pés sentem a maciez da sua pele.

Existem momentos eternos – e neste mundo das estatísticas, posso afirmar que agora sou possuidora de um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário